Skip to content

>BBB do Povão

January 6, 2011

>

Feliz Ano Novo! Que esse ano de 2011 seja o melhor de todas suas vidas. Que os nossos realities de cada dia possam nos divertir cada vez mais. E que a nossa realidade possa se tornar a realidade que a gente deseja: paz, amor e harmonia. E caso você seja um ex-presidente que está aí de cueca samba canção, camisa do Corinthias e uma caipirinha do lado lendo esse post sem saber o que fazer da vida, seja muito bem vindo. Esse post é especial para você, companheiro. Pois é hora de mais um

BBB do Povão

Com o BBB11 batendo na porta do Projac ,vamos acelerar o passo. Hoje teremos três BBB’s. Então, peguem suas Ice geladas e vamos cair no

BBB5
O Quarteto Fantástico

A quinta edição do BBB começou no dia 11 de Janeiro (sendo assim ela e a 11° serão as únicas a iniciar no mesmo dia). Numa primeira olhada nos perfis dos participantes tudo parecia que a história iria se repetir e um novo BBB4 entraria no ar. De um lado os “pobres” e do outro os “ricos”. Mas não foi isso. Com a mais diferente mistura de tipos do BBB, a quinta edição é, sem duvida nenhuma, a que mais rápido ganhou seus contornos e seus favoritos. Assim se formou a primeira cruzada do bem contra o mal. Entrava em ação o Quarteto Fantástico.

Quando os participantes entraram na casa houve logo de cara um “eu já vi isso!”. Além da já comentada diferença entre os participantes naturais de personalidade, profissão e “status” de vida também houve a de “beleza”. Quem apontou isso foi a cabeleireira Tatiane (que depois ficou conhecida como Tati “Pink”) que logo no primeiro programa apontou o quanto ela estava “deslocada” numa casa com tanta mulher bonita. Na primeira semana o jogo foi meio que dividido por isso. Mas logo na primeira votação tudo deu uma volta de 180° graus. Quando Natália indicou a estudante Juliana, formou-se uma combinação de votos dos amigos dela dentro da casa para colocar quem ela quisesse enfrentar no paredão. Ela escolheu o professor Jean. Questionado por Bial o por quê já na primeira semana ele recebeu seis votos, Jean falou a frase que mudaria de vez o rumo desse BBB: “Acho que porque sou gay”. Simples assim. Com a ajuda do público que votou pelo telefone, Jean bateu Juliana com apenas 0,49% de diferença mesmo ela sendo preferida na internet. Mas isso apenas desencadeou uma sucessão de fatos. Primeiro e pela primeira vez, vários participantes começaram a jogar o jogo sem medo de falar. Liderados pelo médico Rogério, o grupinho era formado pelo jogador de futebol Giulliano, Paulo André (mais conhecido como P.A), a apresentadora Natália, a promotora de eventos Tathy Rio, a dona de casa Aline, o engenheiro mecânico Alan e a dançarina Karla. Eles resolveram “combinar” votos para tentar eliminar o outro grupinho que eles achavam que era forte. Coincidentemente, esse grupo foi formado pelas quatro pessoas que se uniram desde o começo. Os já citados Jean e Tati Pink e o comerciante Sammy e a miss Grazielli. Digo coincidência, pois foi aí que os mais carismáticos do grupo se uniram. Jean tinha uma postura séria em relação à sua homossexualidade e em nenhum momento passou uma imagem fútil ou mesmo vulgar, conseguindo assim entrar nos lares conservadores das donas de casa e ainda passar seu recado. Além disso,Jean mostrou uma inteligência fora dos padrões para um BBB (parece até preconceito,mas vamos combinar que o BBB não é o Show do Milhão para realmente precisar de ter inteligência acadêmica para entrar,né?) e um grande carisma. Já a cabeleleira Tati Pink era o sinônimo de diversão. Despachada, sem papas na língua e com uma personalidade que conseguiu atrair uma boa parte do público. O centrado e companheiro Sammy foi comendo pela beiradas sempre na sombra dos amigos, mas bastou para ser dar bem. E por fim, mas não menos importante tínhamos a miss Grazi. A jovem era o que qualquer novela da vida real precisava para conseguir reunir todos seus arquétipos possíveis:a mocinha do interior que com uma beleza física que só encontra comparação na sua humildade, carisma, naturalidade e um toque que apenas as princesas da Disney têm. Um toque mágico como a Cinderella moderna. Mas tudo isso poderia ser em vão ,pois como vocês perceberam, os bonzinhos eram em menor número que os vilões. Aí, entrou o destino.

Vocês podem chamar esse destino de destino. Podem chamar de a mão de Deus. Ou podem chamar de Boninho. Seja lá qual o nome que podemos classificar o desenrolar do BBB5, é espantoso ver que tudo saiu de uma maneira tão perfeita para o grupo do bem. Primeiro, o grupo de Rogério errou feio a pegar para Cristo tão rapidamente Jean e CIA .Não que eles tivessem errados em jogar. É que o público não viu com bons olhos essa combinação. Principalmente quando foi levantada a bandeira do preconceito. Além disso, Jean, e principalmente a Pink, conseguiram defender o grupo com fervor e paixão que levou os telespectadores a repudiarem o outro grupo como até hoje não houve em nenhum outro BBB. Segundo, em sucessivas jogadas de sorte (será mesmo?), o Quarteto Fantástico foi ganhando a liderança durante as quatro semanas após o primeiro paredão. Com isso, eles mandavam um integrante do mal para a berlinda que era eliminado ao enfrentar um deles. Isso foi até que eles conseguiram ser maioria na casa podendo vencer pelo voto, mas sem nunca combinar os votos. E por fim, a edição do programa ajudou muito a criar essa luta do mal contra o bem. Voltando toda atenção na panelinha do mal, o programa os destacou como os vilões, literalmente. Quem não se lembra daquele historia em quadrinhos animada criada durante as edições de terça-feira? De um lado os vilões como Os Inacreditáveis e o lado dos heróis como Os Defensores. E para colocar a cereja no bolo, cada participante ganhava um apelido que nos vilões ressaltava seus defeitos e nos heróis suas qualidades. Mesmo com essa edição tendenciosa, tenho que admitir essa foi a melhor “novelinha” dentro do BBB. Mas nem tudo foi flores no paraíso. Primeiro foi a Grazzi que teve um romance com o Alan. Tipo a mocinha que se apaixona pelo bad boy, esse por sua vez vai para o lado do bem. Com isso, Alan ganhou uma sobrevida no jogo e terminou em quarto lugar. Já a relação da Pink com o Jean foi abalada na reta final. Ela tinha ciúmes dele com a Grazzi e ficou muito chateada, o que a fez discutir com o melhor amigo da casa. Isso a ajudou a ser eliminada na antepenúltima semana com 64% dos votos contra o próprio Jean.
Correção:Tati Pink foi eliminada porque Jean resolveu “perdoar” um dos integrantes d’Os Inacreditáveis (Alan, o dissimulado). Como ela tinha boa memória e era a única com caráter da dupla, foi veementemente contra, mas Jean não pensou duas vezes em fazer a caveira dela, chamando-a de rancorosa e acusando-a de não saber perdoar as pessoas (oi?) em rede nacional. 
Muito Obrigado Luiz(mas eu juro que ela tinha ciúmes da Grazzi,não é?)

A final foi disputada pelos três que sobraram. Sammy teve apenas 5% dos votos e deixou a disputa para a Grazzi e Jean. Esse último venceu com uma vantagem de 55% contra 40% o que realmente me surpreendeu com um diferença relativamente tão grande. Assim o BBB teve o primeiro vencedor protagonista do começo ao fim.

Os outros participantes não tiveram exatamente muito destaque. Os Inacreditáveis eram uma unidade só.Dali apenas podemos citar o doutor Rogério. O líder do mal era um dos jogadores mais inteligentes que já passaram pelo BBB. Mas o tiro saiu pela culatra. Passados esses anos, hoje eu posso dizer que o jogo do doutor nada tinha de preconceituoso. Era apenas o jogo dele. Foi apenas no BBB errado, contra os participantes errados. Outro destaque foi a dona de casa Marielza. Escolhida por sorteio, ela tinha uma personalidade super forte o que poderia render muito durante o jogo para o bem ou para o mal. Mas durante a segunda semana ela teve um AVC (Acidente Vascular Cerebral) e foi retirada do programa. Para substituí-la foi sorteada a Aline. E hoje posso dizer: ela foi a pior jogadora da história do BBB. Ela entrou na terceira semana e já estava sabendo como estava o andar da carruagem e o que ela me faz?. Foi para turma do mal. Eu até entendo que eles estavam na vantagem de serem em maior número, mas ela piorou tudo com suas fofocas contando o que ouvia no grupo do Jean para a turma do mal. Mas ela tomou no tooba de maneira tão espetacular sendo a pessoa com a maior rejeição da história do reality show com 95% de votos contra a Grazzi. Duas mudanças significativas foram feitas nessa edição:a criação da estaleca e o prêmio subiu para 1 milhão de reais.

 BBB6
Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças

Eu poderia muito bem falar minuciosamente sobre essa edição, mas nada do que eu poderia escrever chegaria nem perto da definição que a Glenn Close nos presenteia em Ligações Perigosas. Querida Glenn como foi o BBB6?

É minha gente. O BBB6 foi basicamente nada. Nada aconteceu. E para piorar, foi tudo muito ruim e previsível. Repetiu basicamente as mesmas histórias dos outros BBB’s. O romance do BBB2 com o irritante Rafael como o babaca da vez, a sem sal da Mariana como a gostosona e o aleatório do Daniel Saulo como o outro. No final não houve nada entre o casal principal pois Mariana preferiu, aqui fora, ficar com o Daniel mesmo depois dela levar um par de chifre dentro do BBB. O pobrinhos do sorteio foram os favoritos e um deles venceu como no BBB4 (Mara e Agustinho só chegaram na final juntos pois eles se enfrentaram no penúltimo paredão). Tudo isso com o pior elenco que o BBB já teve. Um bando de gente sem graça, chata, sem carisma e tediosos. Na época foi o BBB de menor audiência. A coisa foi tão feia que o sr.Boninho teve que criar uma “polêmica” no meio da edição quando colocou os gêmeos Djair e Djairo na casa. Eles se passaram como a mesma pessoa e quem descobrisse o truque ganhava o Anjo (?!?). É claro que isso não funcionou. Antes de terminar quero deixar uma pequena opinião pessoal: eu acho que, de todos os campeões, a Mara foi a que melhor usou o dinheiro ganho. Não sei se me pegou pelo meu lado pessoal, mas Mara aproveitou o dinheiro e criou uma escola para crianças especiais como a filha dela. Piegas? Pode até ser, mas eu vejo assim. Então,como eu tenho tendinite e não tem mais nada para escrever sobre esse BBB,vamos fazer como o Jim Carey em Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças e apagar essa edição da nossa memória. E aproveitando o espaço que sobrou,vamos falar do próximo BBB.

BBB7
Quando Diarios de Uma Paixão Encontra Entre dois Amores e o Vingador se apaixonando pela protagonista de Um Sonho Possível

A edição mais lembrada pelo público médio é a que teve a história mais simples. Para ser mais exato ela repetiu praticamente o BBB3. Só que tudo foi multiplicado por 10 devido aos seus personagens. Os principais nomes da edição foram o Diego (Alemão) e a Irislene (Siri). Os dois protagonizaram toda edição, mesmo quando ela foi eliminada.

Ele era o malandro, garanhão boa pinta e cheia de lábia. Ela era a caipira, sem papas na língua, burrinha até a página dois, barraqueira e com um carisma nato. Os dois não poderiam ser mais diferentes, mas não é assim que a maioria de mocinhos e mocinhas de novela são?. Pois então, os dois se “apaixonaram” e começaram uma relação cheia de altos e baixos, mas que qualquer dona de casa se encantou pelo romance. Mas isso não seria o suficiente se os dois não tivessem um elenco de apoio tão “ajudativo”, por assim dizer. Já não bastasse o poder de carisma dos dois juntos que eram “apaixonados” e mesmo assim eles não deram um beijo durante o BBB ajudando a aumentar o poder de conquista desse amor em frente ao público, os outros participantes fizeram o favor de serem os antagonistas perfeitos do casal vinte. Ao contrário do BBB3, a coisa foi vista para o lado pessoal e não apenas pelo jogo. Liderados pelo cowboy Alberto, o grupo foi formado por Airton, Analy, Fernando e Carollini (posteriormente pela Bruna que teve um namoro com Alberto). A idéia do grupo era fixa: eliminar o casal de qualquer maneira. Isso não seria o bastante para despertar a ira do público se não fosse pela sacada da “porta” da Íris. Quando ela percebeu o complô do grupo de Alberto contra ela e o Alemão, ela foi com tudo para cima deles com suas duas principais armas: a choradeira e seu sentimento de perseguição. Ela discutiu com todo mundo para defender ela e o Alemão. Essa batalha ganhou o a simpatia do público super rápido e o senhor Alemão percebeu isso e começou seu jogo. Na época todos viram com os melhores olhos o macho alpha defendendo a amada, principalmente dando a ela o Anjo. E durante metade da edição foi assim, até a semana seis, quando depois de muito lutar, os dois foram juntos para o paredão e a Íris foi eliminada com 57% dos votos. Para explicar como tudo chegou até esse paredão e como o jogo seguiu depois disso é necessário vermos outros participantes importantes.

Começamos pela insubstituível Fani. A despachada carioca de Nova Iguaçu, era uma das poucas aliadas do casal na casa. E como todos sabem, ela foi muito além de ser amiga. Ela formou o triângulo amoroso. Durante um tempo essa formação foi muito bem aceita pelo público. Primeiro, os três eram carismáticos e segundo, a formação colaborou com a permanência do casal na casa. Fani defendia os dois sempre quando líder indicando alguém do outro grupo. Apesar disso, o caldo entornou para a querida Fani quando ela foi pressionada pelo grupo de Alberto para não ir ao paredão pedindo para Íris o Anjo. As duas brigaram feio e isso causou a ira do público que a colocou como a traidora, pois foi nessa semana que se fez o paredão entre o casal. O público achou quer a Fani deveria dar sua “vida” para salvar o casal. Duas semanas depois Fani foi eliminada com 87% dos votos contra o próprio Alemão. Mesmo assim, Fani é ainda uma das mais amadas ex-BBBs.

A saída de Íris foi outro momento marcante para o jogo. Foi a partir disso que a vitória de Alemão se confirmou cinco semanas antes do final. O público, como sempre, achou que a mocinha não daria conta de lidar contra os vilões sem seu amado, pois ele era o “macho alpha”, o f*dão e mais forte que ela. Então falou mais forte o machismo da sociedade brasileira dando a preferência ao homem. E vamos combinar que o Alemão usou tudo isso a seu favor. Depois de perceber como o jogo estava indo para o lado da Siri, ele se converteu no príncipe encantado apaixonado. Quem não se lembra das vezes que ele chamou a Siri de porta ou deu uns pegas na Fani antes de cair de amores pela caipira? Hoje tudo parece muito pensado e até calculista demais, mas na época foi o time perfeito fazendo dele o perfeito guerreiro de armadura dourada que estava pronto para se vingar dos vilões que “mataram” sua amada. E assim foi. Um por um, eles caíram. Mas não tivemos o confronto direto entre Alemão e o seu antagonista Alberto. Esse foi eliminado contra a sonsa Analy com 85% dos votos. Essa última fez uma das jogadas mais inteligentes e perigosas do BBB quando vetou o Anjo da Íris quando essa deu ao Alemão, causando assim o paredão dos dois e a ira do público.

O Sonho de Qualquer Homem (Hetéro): a “Esposa” e a “Amante” se dando bem

Enquanto todos brigavam para quem iria ficar em segundo lugar, pois todos já sabiam que o Alemão iria vencer, a estudante Carol fez uma jogada acertada quando indicou o Alberto ao paredão. Ele saiu, o público gostou e fez dela a runner up mais aleatória da história do BBB quando perdeu para o Diego com 91% dos votos a favor do paulista. E por fim não podemos esquecer da simpática Flávia. A outra aliada do casal e a única que não fazia parte literalmente do triângulo foi de grande ajuda e só saiu porque disputou contra o Alemão. Uma pena.

BBB após o BBB: o destaque para quem se deu bem vai primeiro para a Íris.Depois de posar nua na Playboy, ela virou apresentadora do TV Fama(!) mesmo com o sotaque mais carregado do que da Vera Holtz. Depois de ter o seu tapete puxado, ela hoje é repórter do mesmo “jornal”.
E temo a que mais se deu bem:Grazielli Massafera. Não é preciso explicar que se tornar atriz da elite jovem da Globo (mesmo que ainda precise de experiência) e ter ainda protagonizado uma novela (mesmo que fracasso) e mesmo assim não perder seu prestigio e ainda ser uma das estrelas da casa,a faz ir de uma ex-BBB bem sucedida para uma atriz bem sucedida. Mas a maior evolução foi essa aqui:

Ela foi disso

Para isso

Boninho Awards

Do BBB5 as indicações vão para

Melhor Edição
Melhor Elenco
Melhor Ator:Jean Wyllys para sua atuação em “Será que Ele é?Sou Sim!E Estou Sendo Perseguido”
Melhor Atriz:Grazi para o romance “Para Sempre Cinderella”
Melhor Atriz Coadjuvante:Tati “Pink” em “Cor de Rosa Choque”
Melhor Roteiro:“Como Se Fazem os Heróis”

Para o BBB6 é

Nenhuma

E por fim,o BBB7

Melhor Edição
Melhor Ator:Diego “Alemão” para o clássico “A Vingança do Germânico”
Melhor Atriz:Íris pela sua rápida e marcante performance “The Door:A Garota Que Era uma Porta”
Melhor Atriz Coadjuvante:Fani pela atuação no remake de Atração Fatal,intitulado de “A Outra de Nova Iguaço”
Melhor Roteiro:”O Amor Em Três Atos:A Paixão,A Morte e a Vingança”
Melhor Canção:Big Girls Don’t Cry cantada pela Fergie e fez sucesso aqui no Brasil antes do Estados Unidos

Melhor Briga:Alemão contra Airton em “A Bunda Branca”

Então é isso minha gente. Volto para explicar para vocês o que o Jack Nicholson,Jim Carrey e a Joana D’Arc tem em comum quando falaremos do BBB8 e o BBB9. Até lá!

From → BBB do Povão

Leave a Comment

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: